quarta-feira, 1 de julho de 2015

Dragão Zezeu

A história de um dragão que tinha medo de careta. 
Primeira das três imagens da história infantil 'Os monstros chorões', em processo infinito de acabamento.


Colagem da série 'Os monstros chorões'

segunda-feira, 4 de maio de 2015

Onomatopeia

O fiasco da escrita crua, sem moldura,
será que dura?
Não é por pretensão que se perpetua
se agora é contada.
Escriturada.
                   O que mais pode querer a mão calada?
                        se finda o calo na unha amarelada
                              que mergulhada em água clara
                                    livre do colorido que a doença emprestara
                                            ajeitou enfim o cabo da panela ensebada.
Quanto tempo a fome dura?
Desde a semana passada.

Um rosto varrido em verde carne exposto:
Qual o gosto?
Retificado pra troféu e medalha
                                                   Quantos ais tinha aquele rosto?
                                              Agora não mais
                                        Não ais
                                  Sem paz
Aquele rosto era popularesco
Nada não se assemelhava nele na calçada

Raríssimo na sala.
 Aquele-aquela
Tínhamos
Temos
Eu e tu
O agora-já
Já passou
Está sendo
Ficamos mais velhos dizem
.
.Ficamos apenas.

Finda aqui o rosto
pretenso.
Reitero:
                           O gosto não acaba na escrita
                           O rosto não acaba com o gosto
                                                            Eu gosto de ti
E do que respira
Será que a mosca respira?
Certamente ela não morrerá no agora-já

Nem daqui a pouco
Nem amanhã.
                                                 Morre mais gente que mosca
                                                 Fica mais gente sem o gosto

.
                                                                                                                             Rafaela Sena