terça-feira, 13 de agosto de 2013

Prece



Peço àquele que me guarda,
um lugar de clausura, longitude...
Que meu caminhar se assemelhe às pedras que cobrem este chão...
Simples, tolas, precisas.
Que meu esforço não seja por palavras, pedaços de papéis, confetes!
Mas por uma delação íntima que o outro me confessa,
quando de súbito se descobre só.
Que nunca me falte a solidão, para o verso nascer

À imagem e semelhança... 

Nenhum comentário:

Postar um comentário