sábado, 3 de agosto de 2013

A noite


A noite...
Estranha força que rege os passos
Que silencia os gestos
Sopra a calmaria de outros olhares
Aquece desejos amargos
A noite...
Estranha vibração que rompe segredos
Que abafa denúncias íntimas
Sopra liberdades juvenis
Aquece vontades famintas
A noite...
Rompe medidas
Ameaça vidas
Labirinto sem fim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário